O que é que tu fazes?

14:17


Quando conhecemos algumas pessoas numa sinergia que se espera a longo prazo, surge inevitavelmente a pergunta: O que é tu fazes? ou Qual é a tua profissão? Nas últimas semanas tenho ouvido esta questão muitas vezes e fico sempre sem saber muito bem o que responder. 

Tirei uma licenciatura em ensino e um mestrado em psicologia mas não trabalho directamente em nenhuma das áreas. Há uns anos fundei a MulherEndo e grande parte do meu dia é ligado à gestão da Associação e ao apoio directo às pacientes. Para além disso, dou uma mãozinha em termos administrativos numa empresa. Mantenho o blogue que já vai tendo algum trabalho inerente, seja com eventos ou parcerias, seja com mensagens e emails diversos. Trabalho com uma empresa de marketing multinível onde faço gestão de uma equipa com mais de 50 pessoas e continuo diariamente a tentar superar-me de forma a chegar ao fim do mês com um ordenado decente. Tenho conseguido e às vezes chego ao fim do mês e até me surpreendo a mim mesma com os resultados. Mas nem sempre é fácil, principalmente porque tento encaixar tudo isto de forma a poder ir buscar a minha filha à escola às 15h30 e a estar com ela, entre essa hora e a hora de a deitar. 

Há dias que entre emails, telefonemas e mensagens falo com mais de 50 pessoas. E se há umas que me pedem conselhos de médicos ou de combate à dor, há outras que me querem propor uma parceria para o blogue e outras tantas que receberam uma encomenda errada e precisam de ajuda para resolver a situação. Não consigo definir um dia da semana para cada frente, porque a vida acontece todos os dias e nos dias de hoje há sempre uma urgência de resposta em tempo real. 

De vez em quando o meu cérebro parece que frita e eu baralho-me toda. Nem sempre consigo dar resposta atempada a todas as solicitações de todas as frentes. E raramente consigo prever o que vou fazer no dia seguinte ou se tenho de passar o fim-de-semana todo agarrada ao computador ou ao telefone. E confesso, há dias em que tenho vontade de ter um qualquer emprego único, com o qual não tivesse de me preocupar depois, mas sei que cada vez menos isso existe. São cada vez menos os empregos em que a pessoa desliga verdadeiramente quando termina o horário de trabalho e sei também que cada vez mais há pessoas a optar por gerir as coisas da mesma forma que eu. Terem duas ou três fontes de rendimento que lhes permitam ir gerindo quando, como e onde trabalham para poderem passar mais tempo com os filhos. 

Eu sinto que é agora que a minha filha precisa de mim. Que é agora que ela precisa que eu esteja disponível para ela das 15h30 às 21h00 e não quando ela tiver 15 anos e quiser passear com as amigas. Mas não é só por ela que faço esta ginástica diária e nunca lhe cobraria tal coisa. Faço-o porque eu sou assim. Eu não sei estar quieta. O meu cérebro não sabe estar parado e está constantemente a idealizar coisas e novos projectos. E embora muitas vezes me sinta mentalmente exausta é assim que me sinto realizada a cada dia que passa e a cada projecto levado para a frente! 

Respondendo à questão inicial do post: O que é tu fazes?
Sou uma perita em gestão de tempo em constante actualização! 

You Might Also Like

0 comentários