O lado bom da Endometriose

12:13



Quem me acompanha há mais anos sabe que tenho Endometriose. Sabe que travei uma luta durante longos anos para obter o meu diagnóstico e para ter o acompanhamento adequado e sabe também que no dia em que consegui chegar às mãos certas, decidi que tinha que fazer alguma coisa. A realidade da Endometriose no nosso país tinha de mudar. Eu não sabia como, mas sabia que tinha de fazer alguma coisa. O que nasceu com um simples chamamento interior [se assim o quiserem chamar!] é hoje uma associação com 4 anos de existência formal e 7 de trabalho efectivo. 

Comecei sozinha, sentada atrás de um computador, sem saber para onde seguia nem que caminho queria traçar. Hoje não somos muitas a dedicar um pouco do nosso tempo a esta causa, mas nunca mais me senti sozinha nesta caminhada. A Endometriose já é uma doença com alguma voz no nosso país e posso orgulhosamente dizer que isso se deve também ao trabalho da MulherEndo, associação da qual sou presidente. Mas o que me faz escrever hoje, uma vez mais, sobre este tema, é o facto de estranhamente ter conseguido encontrar alguma coisa de positivo no meio da doença que tanto me levou. É verdade, para mim a Endometriose tem um lado bom. E o lado bom desta doença são as pessoas onde ela habita e que hoje habitam no meu coração e fazem parte dos meus dias. 

A Endometriose levou-me sonhos, levou-me qualidade de vida, levou-me partes do corpo e levou-me muito mais que quem está de fora nunca poderá perceber, mas presenteou-me com amigas para a vida. Trouxe-me uma mão cheia de pessoas... que caramba, vieram para me ajudar a superar tudo isso e muito mais! E sabem uma coisa? Traz-me sorrisos diários a cada mensagem ou telefonema que recebo em que alguém me diz "Susana, estou grávida! OBRIGADA! Se não fosse a Associação a encaminhar-me para o médico correcto isto nunca seria possível!". E eu ganho o dia, ganho a semana, ganho o mês com estas palavras. E é impossível não sentir estas vitórias como minhas. É impossível não me saltar uma lágrima marota. É impossível não sentir um orgulho do caraças por todo o esforço que tem sido feito. Porque neste campo não há falsas modéstias. Temos feito mesmo um trabalho importante e mudado a vida de muitas mulheres. 

Há quem nos pergunte porque não vamos mais depressa. Porque não fazemos isto. Porque não pedimos aquilo. Tornamo-nos assado ou cozido. Simplesmente porque não. Porque somos assim, terra a terra, e queremos ir tocando uma vida de cada vez, dia após dia, porque sentimos que é assim que efectivamente fazemos a diferença e é este o nosso caminho. Não somos de grandes voos. Somos de pequenos passos que até ao momento têm levado muito longe esta doença. 

Querida Endometriose, já me fizeste chorar muito, já me fizeste gritar, já me fizeste querer desistir de viver, já me fizeste desistir de sonhos e planos e projectos, já me fizeste muito mal. Mesmo muito mal. Mas EU fui mais forte do que tu e hoje agradeço-te. Se sou a mulher que sou, da fibra que sou e tenho tantas pessoas boas à minha volta, tu também tens a tua quota de culpa nisso! Estou em paz contigo Endometriose. Não sei ainda porque me escolheste, mas termino este 2017 com a certeza de que darei conta! 

A ti que me lês desse lado, que tendo ou não Endometriose, mas tens um outro problema que te leva a paz e a qualidade de vida, acredita, é SEMPRE possível dar a volta por cima e fazer do pior das nossas vidas o melhor dos nossos dias! Podes ainda não ter descoberto como, mas vais chegar lá. E quando conseguires a sensação será mágica! 

You Might Also Like

3 comentários

  1. Parabéns Susana, foste sem dúvida crucial nesta minha caminhada recente, começo agora a caminhar nesta nossa guerra com ela!
    E sim sem dúvida ela leva muita coisa nossa mas traz-nos pessoas fantasticas para a nossa vida.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Parabéns Susana por estares sem duvida mais rica, porque soubeste tirar o lado bom de algo que deve ser muito mau...
    Obrigado por nos inspirares!! beijinho doce!

    ResponderEliminar
  3. Sofro de SOP, Sindrome de Ovarios Policisticos, foi me diagonosticada ha 20 anos, tinha 18... tem sido uma luta incansável... com dias muito maus, outros menos bons, mas orgulho-me de nunca ter baixado os braços, pois e nos maus momentos que vamos encontrar forcas para seguir em frente... estes últimos 5 anos foram muito complicados, tive de deixar de trabalhar para conseguir fazer tratamentos para engravidar e consegui :) Sou mae de um pequeno principe que junto com o meu marido me da forças para continuar a lutar :) Nao sei se tambem tenho endometriose, tenho períodos muito dolorosos que me deixam de rastos... tenho um cisto de 9 cms no ovário esquerdo que poderá ser a causa disso mas em breve vou me ver livre dele... finalmente!
    Desde ja peço desculpas pelo testamento mas so queria mostrar-te, querida Susana, que nao estas sozinha nesta luta ;)
    Bjinhosss e muita força*
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar