Eu ♥

08:12


Desde miúda que me lembro de não gostar de mim. Bem, não era bem não gostar de mim. Primeiro não gostava do cabelo. Depois não gostava das borbulhas. Mais para a frente achava que era demasiado magra para umas mamas tão grandes. Voltámos ao cabelo. Voltámos à cara. Passámos para a altura. No auge dos meus 17 anos tinha de andar sempre impecavelmente maquilhada, pousada nuns saltos agulha de 10cm [no mínimo!] que combinassem com a mala e já pintava o cabelo. Mais tarde, veio ainda uma doença que me fazia parecer grávida, embora continuasse magra, e a toma da pílula continua que acabou com o que sobrava da minha pele. 

Hoje, tenho 31 anos, as primeiras rugas começam a desenhar-me o contorno nos olhos, tenho uma cicatriz de uma cesariana e outras três de uma laparoscopia. Amamento há mais de 17 meses [e sim, as mamas ressentem-se!]. Há dias em que continuo com barriga de grávida, embora pese 50kg. Não pinto o cabelo nem as unhas há mais de 6 meses. Não uso maquilhagem há mais de um mês. Não me empoleiro em cima de uns saltos há meses. Não troco de mala desde Outubro [quando recebi de presente a que trago todos os dias]. Não uso cremes caros [nem baratos! Meu bom e natural óleo de côco...]. Quando me lembro uso o meu perfume, porque gosto mesmo dele. Quando me apetece coloco os meus brincos favoritos. E nunca, nunca me senti tão bonita nem tão bem comigo mesma. 

Não é desleixo, acreditem. Cuido de mim! Nunca tive a pele tão bonita, hidratada e luminosa, nem o cabelo tão forte! Mas aprendi que eu sou muito mais do que um cabelo, uma pele manchada e uma barriga inchada. Aprendi a gostar de mim pelo que sou e pelo que trago dentro de mim. Aprendi a ver-me com olhos de ver e acreditem ou não, não há beleza maior que a paz de espírito, a serenidade da alma e um sorriso no olhar. Nestes últimos meses, aprendi a cuidar do meu corpo de dentro para fora e não apenas a esconder-lhe o que considerava imperfeições. Aprendi que cada traço faz parte de mim. Que cada mancha e cada ruga fazem a minha história. Fazem o que eu sou! Eu sou assim. Mulher. Mãe. Simples. Serena. E gosto de mim, assim. Cada vez mais ♥

You Might Also Like

7 comentários

  1. Ainda bem! É muito bom estarmos bem connosco próprias!

    ResponderEliminar
  2. Fantástico! A Susana parece uma pessoa maravilhosa :) é bom gostarmos de nós! Dá paz ao nosso espirito :) que continue sempre a gostar muito de si, e se possivel, gostar mais e mais :) beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Lindo texto. Espero que continue a gostar ainda mais de si a cada dia que passa :)

    ResponderEliminar
  4. Parabéns Susana, não há nada melhor do que sermos felizes com aquilo que somos e como somos!!!
    www.carlotaamesa.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. Parabéns Susana, não há nada melhor do que sermos felizes com aquilo que somos e como somos!!!
    www.carlotaamesa.blogspot.pt

    ResponderEliminar