Não haverá festa, porque estaremos em festa o dia todo ♥

19:05


Ainda durante a gravidez pensava várias vezes como seriam as festas de anos da princesa da casa e sempre disse que, estivesse quem estivesse, a princesa teria apenas uma festa de anos em casa. Sou filha de pais divorciados, que não mantém um convívio totalmente saudável. Nem sempre é fácil e em alturas como estas, ou como o Natal, ganhamos algumas rugas e cabelos brancos na tentativa de agradar a todos e não magoar ninguém. Desde que me conheço que sempre tive este cuidado, o de tentar não magoar ninguém, mas nem sempre é fácil, porque às vezes, façamos o que fizermos, escolhamos o que escolhermos, haverá sempre alguém que não fica feliz!

Quando se começou a aproximar o mês de Agosto, e comecei a ter de pensar a sério no dia de anos da boneca, a primeira ideia que tive foi fazer um piquenique. Um espaço neutro, onde cada qual pudesse fugir ou esconder-se onde bem desejava sem grandes constrangimentos. Mas quando comecei a fazer a lista de convidados começaram os grandes dilemas, por diversos motivos. No fundo, o bom senso ou o "políticamente correcto" indica-nos que se convidamos umas pessoas faz sentido convidar outras e esse bom senso iria fazer com que convidasse pessoas que ainda não conheciam pessoalmente a minha filha. Por falta de tempo, de interesse ou de vontade. Não interessa. Mas para mim, não fazia sentido. Quando mostrei a lista prévia ao pai ele perguntou se eu o estava a pedir em casamento discretamente [É verdade! Somos pais 'ajuntados'! Nunca pusemos por escrito a história que nos une...]. Depois de conversarmos sobre o assunto algum tempo, achei que o ideal seria mesmo seguir a simplicidade masculina [Ah como eu às vezes gostava de ser assim... simples, sem pensar e repensar em todos os quês e porquês e em quem vou magoar ou deixar de magoar!]. 

Nesta caso, a simplicidade masculina disse que o ideal é não convidar directamente ninguém, porque quem gosta da princesa, se preocupa com ela e faz realmente parte da vida dela, vai aparecer em nossa casa no dia de anos dela. E será mais ou menos assim. Arranjaremos a casa e iremos decora-la para a boneca, porque é o dia de anos dela e nós estaremos em festa. Farei alguns doces e terei o frigorífico atestado. À noite, haverá jantar para quem estiver. Tudo simples e sem grandes pretensões. A família, os amigos queridos e quem verdadeiramente faz parte da nossa vida e da vida dela, sabe que a nossa porta e os nossos corações estarão abertos neste dia, e todos serão muito bem recebidos. No fundo, não faremos uma festa porque vamos estar o dia todo em festa ♥

O grande dia está a aproximar-se e a verdade é que me sinto cada vez mais feliz e tranquila com esta decisão. Cantaremos os parabéns e partiremos o bolo [que ainda ando a pensar e repensar como fazer!] às 17h46, hora em que a boneca mais boa nasceu! Que seja um dia mágico para ela, que se sinta amada e esteja rodeada das pessoas que mais gosta, é o que realmente desejo. O resto, são complicações de adultos. Porque efectivamente, os adultos complicam tudo! 

You Might Also Like

0 comentários