Do fim-de-semana

23:24


Tenho vários textos programados para vos escrever mas a donzela da casa decidiu que não faz mais sestas durante o dia quando estamos sozinhas. Acorda às 7h00 da manhã e só adormece enquanto janta, por isso a escrita tem de ficar para o fim do dia, quando já não dou uma para a caixa [não me crucifiquem se isto hoje tiver erros!]

O primeiro dia do desafio Domingos fora de Rede
[ao qual devo ter sido a única a aderir] não foi fácil, [foi quase tão difícil como a desintoxicação de acúcar que ando a fazer!]. A certa altura dei por mim a querer fazer um bolo e a pensar que devia ir à internet investigar receitas, queria ouvir música e não sabia como o fazer, queria arranjar imagens [para ficarem prontas para depois publicar] e o programa não funcionava sem internet. Por vários momentos, a verdade é que senti mesmo falta de ter acesso à internet para as coisas práticas do dia. Mas, tirando isso, foi um dia óptimo. Um dia tranquilo em que não soube da ocorrência de desgraças nem me chegaram problemas para resolver por e-mail ou mensagens no facebook.

Tive tempo para respirar, cozinhar com calma, saborear as minhas refeições tranquilamente, brincar com a boneca mais linda, dormir umas sestas com ela, passear e realizar algumas tarefas domésticas. A verdade é que senti que o dia passou mais devagarinho e, a um Domingo, é tudo o que se quer! Quando liguei o wireless o meu telemóvel ficou louco. Eram e-mails, eram mensagens privadas no facebook, era o twitter, era o instagram, eram as aplicações todas a dar sinal de vida. E a verdade é que em 20 minutos dei conta dos 53 e-mails e das 7 mensagens privadas que se tinham acumulado. A verdade é que nada do que tinha chegado era importante ou prioritário. Mas se tivesse o wireless ligado eu tinha lido, e muito provavelmente tinha respondido. Valeu a pena o esforço e acredito que o próximo Domingo vai custar muito menos [pelo sim, pelo não vou pesquisar as receitas durante a semana!] 


Das iguarias gastronómicas deste Domingo destacam-se uma salada de frango e um bolo de laranja e côco.

A salada, que fiz para o almoço, foi inspirada no livro Velocidade Colher da Susana Gomes, autora do blogue No Soup For You. Tenho este livro há uns anos e há uns anos que estava arrumado numa das gavetas da ilha da cozinha. Ontem peguei nele e deliciei-me não só com as receitas maravilhosas e simples de reproduzir como com as palavras e as imagens inspiradoras. 

Não tenho tido tempo [ou tenho-o usado de forma errada!] para ler atentamente o blogue da Susana, mas vou regressar e não me há-de escapar nenhum post nos próximos tempos. Vale mesmo a pena! 

O bolo de laranja e côco foi um falhanço não falhado [se é que isso existe!]. Decidi utilizar farinha integral e farinha de côco e a verdade é que não estava à espera que secassem tanto os ingredientes líquidos do bolo. O resultado foi uma massa que precisou de espátula para ser arrumada na forma [estão a imaginar cimento? Pronto só mudei a cor!]. Depois de ir ao forno [ainda pensei duas vezes se valia a pena gastar eletricidade!] a casa ficou literalmente perfumada e o bolo não ficou mau de todo. Não era doce, porque apenas coloquei um pouco de açúcar mascavado, mas ficou uma óptima receita para um pequeno almoço, para acompanhar com iogurte natural vegetal e aposto que Baby B., quando terminar a introdução gradual ao ovo, se vai deliciar com estes bolos a fazer lembrar broa [a sério!] acompanhados pelos seus iogurtes vegetais favoritos!

Já me calava não já?! Mas ainda vos queria dizer que moro numa cidade bonita. Não tenho o meu querido Tejo é certo, mas tenho algumas paisagens e alguns cantinhos que merecem uma visita demorada.


Desejo-vos uma excelente semana e aproveitem bem tudo o que a vida nos dá de bom♥ 

You Might Also Like

0 comentários