Chega-te a mim e deixa-te estar

16:52


Há livros onde regresso sempre. Há livros onde sublinho o que marca, o que é para ficar, o que é para ler sempre que precisar. Há livros que nos pedem silenciosamente "Chega-te a mim e deixa-te estar". Eduardo Sá é psicólogo clínico e psicanalista e traz com ele uma capacidade maravilhosa de traduzir em palavras pensamentos que me fazem todo os sentido. Gosto da sua forma de pensar, de analisar as situações e gosto ainda mais quando o coloca em palavras que posso trazer comigo e recordar. 

Este seu Chega-te a mim e deixa-te estar é um livro onde juntou diversas crónicas sobre temas variados. Já as li várias vezes. Já as sublinhei outras tantas. E volto sempre a elas para descobrir novos caminhos, novas linhas de pensamento, novas inspirações para a vida. "Há pessoas que põem palavras nos nossos sentimentos. Parecem poetas."

Nesta caminhada, nem sempre suave, da maternidade, gosto de reler alguns parágrafos que desejo manter sempre presentes. Porque há coisas que não devemos esquecer sob pena de adormecermos para o que verdadeiramente importa. Partilho convosco estas palavras que devem ser gravadas em todo o lado, especialmente no nosso coração "Quando escasseiam ou faltam os grandes gestos, a família transforma-se num conjunto de pessoas desligadas que se descuidam, se desamparam e se destroem. Quando faltam as pequenas coisas, uma família é um conjunto de pessoas desamparadas que anseiam por colo e rezingam por ele."

 Bom fim-de-semana, sorriam e sejam felizes!

You Might Also Like

0 comentários