Primeira Viagem

09:58

Desde que me conheço que encaro todas as etapas da minha vida de uma forma muito particular e especial. Não sou mulher de deixar passar nada ao lado, de deixar que as coisas aconteçam só porque sim. Gosto de adicionar ao meu sentir, conhecimento e informação que me permitam fazer escolhas conscientes e informadas. As minhas escolhas. Sejam elas certas ou erradas. São as minhas!

A minha vida é a minha vida, assim como as minhas opiniões são baseadas no meu viver. Por tudo isto, nunca achei que devesse viver ao sabor da maré e formular escolhas e percursos tendo em conta as opiniões dos que me rodeiam ou as opiniões que muitas vezes a sociedade nos quer impor.

Para muitos, sou uma mulher guerreira. Uma mulher que luta por causas perdidas. Uma mulher que quando acredita não baixa os braços. E é verdade! Tudo o que faço nesta vida é por amor, é por uma causa em que acredito. Só assim faz sentido e se assim não for, para mim não vale a pena.

Quando iniciei a viagem pela maternidade para mim tudo era novidade. Primeiro porque o meu percurso até aos 29 anos nunca foi fácil e esteve sempre de braços dados com uma doença crónica que foi deixando um grande ponto de interrogação nesta possibilidade vir a ser real. Mas a interrogação passou a afirmação. Não sou pessoa de religiões e crenças mas acredito que este meu milagre foi como que uma recompensa do Universo por todas as batalhas já lutadas. 

Até às 20 semanas de gravidez andei a flutuar nestas andanças e as minhas preocupações baseavam-se apenas no enxoval e na decoração do quarto da Princesa B. Felizmente [há realmente males que vêm por bem] fui obrigada a ficar de baixa às 23 semanas. A partir desta fase comecei a ter todo o tempo do mundo para pensar, reflectir, ler, pesquisar e informar-me sobre este estado de graça e sobre tudo o que o rodeia. 

Ontem, depois de estar mais de 1hora ao telefone com uma amiga que também está grávida percebi que era uma privilegiada por estar de baixa e ter tempo. Tempo para me informar e saber o que quero e o que é melhor para mim e para a minha filha. Tempo para questionar. Tempo para me preparar. E foi assim que surgiu este blogue. Onde pretendo partilhar um pouco de tudo o que fui e vou descobrindo neste magnifico percurso.

Não pretendo que este seja um blogue guia para mais ninguém, estas são as minhas escolhas, as que fazem sentido para mim. Mas acho que será uma mais valia partilhar as minhas aprendizagens e as minhas escolhas, para que outros pais se possam questionar e possam procurar, investigar, questionar e fazer as suas próprias escolhas. As que façam sentido para eles. 

Bem-vindos!

You Might Also Like

0 comentários