doTerra, com am♥r

17 de junho de 2017
[Para conhecer os produtos clicar na imagem]


Ontem quando escrevi ESTE post disse que escreveria depois sobre esta minha decisão de me juntar à família doTerra e por isso hoje partilho este post mais reflexivo e explicativo convosco.

Quem me conhece sabe que adoro aprender e fazer descobertas. Quem me conhece sabe que quando quero descobrir ou aprender alguma coisa ou sobre alguma coisa, pesquiso, leio e pergunto. Sem medos e sem receios. E a verdade é que da mesma forma como aprendi imenso sobre alimentação e sobre os benefícios que uma alimentação equilibrada pode trazer à nossa vida também comecei a procurar caminhos melhores noutros campos. 

Quem me lê há mais tempo sabe que tenho Endometriose, sabe que sou fundadora da MulherEndo e que recorrentemente este tema vem aqui parar porque de facto eu não sou Endometriose mas a Endometriose condicionou TUDO nada minha vida. E é impossível não pensar nela e não falar dela, principalmente porque essa é uma das minhas missões de vida, evitar que mais mulheres estejam anos e anos sem um diagnóstico e um tratamento adequado. Existem vários estudos que co-relacionam o desenvolvimento e o agravamento desta doença com o meio ambiente e com todos os químicos a que estamos expostos desde que acordamos até nos deitarmos. O ano passado tive o privilégio de ver o documentário EndoWhat? [que posteriormente foi legendado para português pela minha equipa e que temos transmitido em várias cidades do país] e confesso que apesar de tudo o que é transmitido  neste documentário ter mexido de alguma forma comigo e de ainda hoje, depois de o ter visto mais de 10 vezes, ele ainda me levar às lágrimas e me fazer o coração bater mais forte, há uma parte que sem dúvida me impressionou mais, que foi precisamente a explicação sobre tudo a que o nosso corpo está exposto no dia-a-dia e a forma como tudo isso pode piorar esta patologia. 


Quando compramos um creme de corpo, um creme de rosto, um baton, um verniz, um shampoo nunca olhamos para os ingredientes. E a verdade é que há ingredientes muito nefastos nestes produtos. Neste sentido tenho tentado perceber o que e como posso melhorar e foi assim que o doTerra entrou na minha vida. Ainda não consegui experimentar todos os produtos, porque efectivamente isto de se escolher o melhor tem os seus custos, mas posso dizer que os que já experimentei me deixaram verdadeiramente rendida. 

Para além da questão da qualidade dos produtos, do facto de serem naturais e biológicos e de alguns deles terem uma componente terapêutica, o facto monetário também pesou nesta minha decisão. Sendo associada da empresa consigo comprar os produtos mais baratos e se por acaso alguém comprar produtos através dos links que eu partilho também ganho uma comissão. Sim, não sou hipócrita e não vos vou mentir, queria aliar o blogue a algo que me pudesse trazer algum rendimento e andava há imenso tempo a fazer pesquisas e a ver possibilidades. Já me tinham feito vários convites para representar marcas, para me juntar a equipas mas a verdade é que nunca me tinha identificado com os conceitos nem com os produtos [pelo que disse atrás!], quando comecei a fazer perguntas sobre o doTerra, percebi que era diferente e decidi agarrar mais este desafio.

E pronto, prometo que não vou encher o blogue com artigos sobre o doTerra e que não vou ser demasiado chata, mas à medida que tiver partilhas que considere benéficas de partilhar com o mundo irei fazê-lo! Já sabem, se tiverem dúvidas sobre os produtos, se quiserem perceber como também os podem adquirir mais baratos, ou se apenas me quiserem deixar o vosso feedback se já forem consumidores, deixem comentário ou enviem e-mail: maecomotu@gmail.com 

Vamos acabar com os piolhos de forma natural?

16 de junho de 2017

Por cá ainda não tivemos nenhum surto de piolhos mas vejo muitos posts por esta internet fora do drama que é quando os miúdos chegam a casa com brinde no couro cabeludo. Quando era miúda apanhei várias vezes e a verdade é que tenho bem vivas as memórias das noites deitada ao colo da minha mãe enquanto ela me ia catando com um pente especial. Lembro-me também de usar produtos e mais produtos, com cheiros medonhos e que muitas vezes aquilo não resultava de forma nenhuma e lembro-me mais ainda de eu no auge nos meus 8 ou 9 anos, levar uma rapada completa à conta destes amigos. É verdade, a minha mãe já não sabia o que fazer, tinha usado de tudo e nada resultava e decidiu cortar-me o cabelo, na altura mais curto do que o meu pai! Levou-me ao cabeleireiro e foi à máquina! Eu chorei. Chorei mesmo e só há uma fotografia minha assim, porque eu fugia de tudo o que eram máquinas [Ainda vou pedir a foto à minha mãe para vos mostrar, porque já sei que estão a achar que estou a exagerar! Mas não estou!]. segundo parece foi remédio santo, os amigos piolhos foram passear para outras paragens!

Quando descobri que havia forma de combater estes amigos de forma natural, sem químicos, nem queria acreditar! Parece que resulta mesmo! Eu ainda não experimentei, e espero não precisar tão cedo, mas se experimentarem contem-me por favor!

Os óleos doTerra são 100% naturais e puros. São compostos aromáticos que existem nas plantas e que constituem as suas defesas naturais. Desta forma têm também vários benefícios para a saúde das pessoas. 

COMO UTILIZAR:
Aplicar directamente na nuca DUAS GOTAS do Melaleuca e UMA GOTA do Lavender

ONDE ADQUIRIR:
Podem encomendar AQUI. Juntei-me à família doTerra e estou aqui para vos ajudar na melhor utilização possível destes produtos. Falarei sobre esta minha escolha noutro post.
Se tiverem dúvidas, se precisarem de mais informações deixem comentário ou envie e-mail: maecomotu@gmail.com


Eu e as malas, as malas e Eu!



Se eu fosse uma menina abastada era pessoa para me exceder em algumas coisas e as malas seriam sem dúvida uma perdição! Adoro malas e acima de tudo, adoro boas malas. Mas como tudo o que é bom tem um custo e o universo nem sempre é justo na gestão dos recursos, aqui a menina tem de ficar apenas pelo namoro, sem chegar ao casamento! 

Mas eu era menina para ser feliz com alguns dos exemplares da foto! Estas são da Trendhim, uma loja de acessórios masculinos. Devem estar a perguntar-se “Porque raio é que uma mulher iria comprar uma mala de homem quando há tantas malas lindas para mulher?”. A resposta é simples: gosto de malas diferentes, que não se vejam assim todos os dias em cada esquina. Estas mochilas [por quem tenho nutrido um especial carinho desde que sou mãe!] chamaram-me a atenção porque são perfeitas para viagens, para ir para o trabalho [dando para levar o portátil] ou dar um passeio. Mesmo que não pensemos em levar muita coisa, uma mochila é super prática e confortável de carregar. Desde que a Bianca nasceu que temos usado bastante cá por casa, porque assim conseguimos levar tudo num único local, podemos alternar a sua utilização [o homem agradece não ter de andar de pochete debaixo do braço!] e ficamos com os braços livres para dar colo e tudo o resto que seja necessário! Para já temos apenas duas cá por casa, mas acho que o namoro platónico com uma destas ainda vai ter de passar para a esfera do real, nem que seja disfarçado de presente de aniversário ou de Natal. São mesmo giras! 

Moda? Não percebo nada!

10 de junho de 2017
[clicar na imagem para informação sobre o vestido]

Adoro passear por blogues e contas de Instagram cheias de senhoras maravilhosas com trapinhos lindos. A sério que gosto de ver e sigo muitas Fashion bloggers, mas nunca me passaria pela cabeça fazer posts sobre moda. Primeiro porque o meu tempo de usar saltos altos e muita maquiagem já lá vai, e depois porque de facto para mim qualquer par de calças de ganga confortáveis e uma camisola às riscas [de preferência azul] está perfeito. 

Sim, há uns anos, era eu uma miúda no auge dos seus 17 anos, andava sempre maquiada, de salto alto e tinha imenso cuidado na escolha da indumentária. Depois a vida mudou e comecei a ter outras prioridades e outros gostos. Comecei a aceitar-me mais e melhor e a perceber que acima de tudo tenho de me sentir bem na minha pele. Não sou nada contra quem veste [por vontade ou obrigação!], roupas mais informáveis e que ande diariamente de salto alto. Nada contra mesmo. E como disse atrás, gosto de ver. Mas não dá para mim! Já não troco o meu conforto por nada e acho que também é possível andarmos bonitas e elegantes mesmo que de forma mais simples e prática. Não vou para a rua de pijama, nem pouco mais ou menos, mas também já não consigo sair de casa em cima de umas sandálias de salto se sei que passado 10 minutos vou estar a coxear. Da mesma forma que também já não vou para a rua com calças ou camisolas pouco confortáveis que me iriam obrigar a estar de barriga encolhida ou a pensar constantemente "por que raio fui vestir esta gaita!". Deixei-me disso!

[clicar na imagem para informação sobre os vestidos]

Nos últimos dias tenho feito algumas partilhas na página de Facebook onde apareço eu e a Bi e onde se pode ver claramente o meu gosto por camisolas às riscas. Quem vir as fotos todas seguidas e sem reparar nos pormenores vai pensar que eu ando todos os dias com a mesma roupa. Mas não! Eu tenho é muita roupa muito parecida! Tenho mesmo uma grave pancada por camisolas às riscas e de preferência em tons de azul. Como ela está doente, com sono agitado e eu estou sem cérebro para trabalhar [porque a noite foi de novo complicada!] pus-me aqui na net a divagar e a ver roupa [até podia pôr-me a dormir, mas ela está sempre a acordar e eu fico melhor sem dormir do que dormindo às prestações!]. Mais roupa às riscas, claro está! Adoro estes vestidos assim simples, confortáveis e que ficam bem com sandálias rasas ou ténis. Gosto também de calções. Adoro calções. Mas nunca os uso! Verdade! Tirando quando estou na praia, não consigo andar com a perna tão ao léu! Eu, a minha celulite e as minhas varizes ainda temos de fazer as pazes. Por enquanto andamos de costas voltadas e eu sou assim aquela pessoa que tem vergonha delas e as mantém escondidas. Por isso é que também não uso vestidos muito curtos! Felizmente a celulite só [sooooó!] se alapou no rabiosque e nas coxas, por isso, daí para baixo já vou pondo ao léu. Mas muito raramente, que não sou cá menina de aventuras!

[clicar na imagem para informação sobre os calções]
E pronto, é isto! Quando tenho sono, tenho a miúda doente e ela dorme aos soluços, não vou estender roupa nem limpar wc's. Venho para a net escrever estes post's deliciosos que vocês amam de paixão! Espero que tenham gostado e escusam de pedir mais, porque só me dá para isto quando estou assim bêbada de sono e um bocadinho de mal com a vida por estar um sol do caraças e eu estar enfiada em casa! 
[clicar na imagem para informação sobre o poncho]